Notícias

08/10/2018 - Notícias
França conquista o tri no Motocross das Nações. Brasil faz bonito
por Racemotor / Foto: Divulgação

Uma competição que por longos anos foi feudo exclusivo dos norte-americanos viveu uma situação surpreendente justamente disputada nos Estados Unidos. Na desafiadora pista de Red Bud, em Missouri, Eli Tomac, Aaron Plessinger e Justin Barcia não conseguiram fazer valer a condição de correr em casa para ficar com o título do Motocross das Nações, a tradicional ‘Olimpíada’ da modalidade. Ao fim de três baterias de muita lama e piso ao melhor estilo europeu, a festa foi novamente dos franceses, que vinham da conquista nos dois anos anteriores.

 

O time francês fez valer a regularidade, contando com um desempenho fortíssimo do veterano Gautier Paulin (Husqvarna), ao lado dos promissores Jordi Tixier (KTM) e Dylan Ferrandis (Yamaha) – o campeão mundial da MX1 em 2015 Romain Febvre ficou fora da equipe. As três corridas (MXGP + MX2; MX2 + Open e MXGP + Open) foram dominados pelos holandeses, com o campeão mundial Jeffrey Herlings à frente do pelotão na primeira e Glenn Coldenhoff vencendo as duas outras, ambos de KTM. Pesou, no entanto, o abandono de Calvin Vlaanderen já na primeira bateria, o que carregou a pontuação do time laranja.

 

Na corrida decisiva, franceses e italianos fizeram uma batalha emocionante, em que cada ultrapassagem mudava a pontuação geral – pela regra da competição, a posição de chegada é equivalente ao número de pontos perdidos por piloto, e vence quem termina com menor total. O multicampeão Antonio Cairoli e Alessandro Lupino chegaram a deixar a Itália em vantagem, mas o primeiro passou a ter problemas ao correr sem a viseira. Paulin conseguiu terminar em terceiro, atrás de Coldenhoff e Herlings, enquanto Cairoli e Lupino, em quarto e quinto, não conseguiram impedir a conquista dos vizinhos.

 

Com o que pode ser considerado seu time A, o Brasil conseguiu seu melhor resultado na competição, não apenas se classificando para as finais sem precisar passar pela repescagem (como 15º dos 30 países), mas garantindo, graças a Fábio dos Santos (Yamaha), Gustavo Pessoa (Kawasaki) e Enzo Lopes (Suzuki) a 17ª posição final. O gaúcho Enzo obteve o melhor desempenho individual, com o 23º posto na primeira corrida.

 

Motocross das Nações 2018

 

Red Bud (EUA)

Classificação final

1. França (Paulin/Tixier/Ferrandis) - 35 pontos perdidos

2. Itália (Cairoli/Lupino/Cervellin) - 37